quinta-feira, setembro 28, 2017

Prof Armando Ribeiro recebe Menção Honrosa do GTI / SES / SP

Bastidores do I Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde do GTI da SES/SP

Abertura - Dr David Uip - Secretário de Estado da Saúde de São Paulo.

Boas-vindas - Dra Floracy Gomes Ribeiro - coordenadora do Grupo Técnico Interprofissional da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

Dr Paulo Bloise - palestra "Descobrindo a importância da Medicina Integrativa na nossa saúde e bem-estar.

 Orquestra do Hospital Geral Estadual Jesus Teixeira da Costa.

Prof Armando Ribeiro - palestra "Redução e controle do stress no ambiente de trabalho da saúde".
 
Prof Armando Ribeiro sendo agraciado com a Menção Honrosa das mãos da Profa Dra. Floracy Gomes Ribeiro (coordenadora do Grupo Técnico Interprofissional da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo).

O Grupo Técnico Interprofissional da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo vem cumprimentá-lo pelo seu brilhante destaque nos estudos sobre Gestão do Estresse, Bem Estar e Qualidade de Vida e sua importante contribuição para a realização do I Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde do GTI/SES/SP.

Dr Emilio Telesi Junior - palestra "Vivência das Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde".

Durante o evento o Prof Armando Ribeiro recebeu os cumprimentos do famoso Dr Roberto Martins Figueiredo (Dr Bactéria).

Eng. Fernando Campos - palestra "Consciência Financeira".

Dr Marlon Cavalcante Maynart - palestra "Consumo Sustentável".

Bastidores - Centro de Convenções Rebouças (sala Turquesa).

Bastidores - Centro de Convenções Rebouças (sala Turquesa).

Bastidores - Centro de Convenções Rebouças (sala Turquesa).

Bastidores - Centro de Convenções Rebouças (sala Turquesa).

Bastidores - Centro de Convenções Rebouças (sala Turquesa).

Vida saudável e bem-estar são temas de simpósio da Saúde. Diário Oficial.

I Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde do GTI / SES / SP.

segunda-feira, setembro 25, 2017

Prof Armando Ribeiro recebe Menção Honrosa do GTI da SES / SP

Prof Armando Ribeiro recebeu a "Menção Honrosa" do Grupo Técnico Interdisciplinar (GTI) da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES/SP) pelo seu destaque nos estudos e pesquisas sobre Gestão do Estresse, Bem Estar e Qualidade de Vida durante o I Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde do GTI da SES/SP no Centro de Convenções Rebouças (sala Turquesa), em São Paulo - SP.

O evento foi aberto pelas boas-vindas do Secretário de Estado da Saúde Prof. Dr. David Uip e da coordenadora do Grupo Técnico Interprofissional da SES/SP Profa. Dra. Floracy Gomes Ribeiro.

Após as palestras do Dr. Paulo Bloise sobre "Descobrindo a importância da Medicina Integrativa na nossa saúde e bem estar", do Prof Armando Ribeiro sobre "Redução e controle do stress no ambiente de trabalho da saúde" e do Dr. Emilio Telesi Jr. sobre "Vivência das Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde", o final da manhã foi encerrado com uma bela apresentação da orquestra do Hospital Geral Estadual Jesus Teixeira da Costa.  

O Prof Armando Ribeiro recebeu a "Menção Honrosa" das mãos da Profa. Dra. Floracy Gomes Ribeiro coordenadora do Grupo Técnico Interprofissional da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. É uma grande honra poder ter o seu trabalho reconhecido e destacado pela comissão organizadora do I Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde, principalmente pela valorização do trabalho interdisciplinar e sobre a importância do desenvolvimento de competências socioafetivas na formação dos profissionais da saúde.

sábado, setembro 23, 2017

Relaxa! Dia de Combate ao Estresse.

Relaxa! Hoje comemoramos o Dia de Combate ao Estresse. Aprenda um pouco mais sobre os benefícios da meditação: blog.saude.gov.br/c2gzy7

Meditação: pensamentos controlados, respiração correta e saúde de sobra

Em tempos em que o estresse faz inúmeras vítimas e se torna comum na vida das pessoas, meditar é preciso! E o SUS pode te ajudar a conhecer essa prática milenar

Trocar a euforia do dia a dia pela calmaria, descansar mente e corpo e controlar a emoção são alguns dos benefícios de uma técnica milenar que chegou ao Sistema Único de Saúde (SUS). Estamos falando da meditação. Você sabe o que é fantástico nessa prática? Qualquer pessoa pode fazer. Ela estimula a concentração, reduz a depressão e a hiperatividade e faz com que o praticante se cuide mais.

A psicóloga Nara Moraes coordena duas turmas de meditação na Unidade Básica de Saúde (UBS) Celeste, em Campo Bom, cidade do interior do Rio Grande do Sul. Para ela, independentemente de serem ou não doentes, as pessoas podem buscar alguma das práticas integrativas para melhorar a qualidade de vida. “Não vamos esperar que tenhamos problema de memória e estresse. Vamos trabalhar a prevenção. Esse é nosso objetivo com a meditação”, orienta.

Nara Moraes explica que a meditação é um processo de tratamento e de cura, dependendo do hábito criado pelo praticante. Os benefícios são gradativos, não são de uma sessão para outra, mas podem ser rápidos sim. “O principal é o autoconhecimento. Conectar-se consigo próprio. Isso vai facilitar a conexão com o outro também”, ensina a psicóloga.

Prática Integrativa

Em uma das visitas à UBS de Campo Bom, a dona Hilária Sulzbach viu um cartaz que convidava para conhecer a meditação. Foi a primeira vez e nunca mais parou. Aprendeu a meditar em casa, inclusive. “Eu dormia mal, era ansiosa, sempre muito preocupada em fazer as coisas. Agora me sinto calma. É um tratamento sem remédio, que pode levar algum tempo, mas é muito bom”, relata.

Desde março de 2017, a meditação e outras técnicas que promovem a saúde, e assim evitando doenças, passaram a compor o rol de serviços oferecidos pelo SUS. Isso, graças à portaria do Ministério da Saúde, responsável pela Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. Um dia depois da Portaria 849/2017, a psicóloga Nara e o colega, o médico Charles Genehr, já começaram a trabalhar com a meditação como ferramenta de promoção à saúde.

Defensor da prática, Charles esclarece que o atendimento na unidade é para apresentar os métodos e guiar os pacientes, mas cabe a cada um colocar a mediação como hábito e, se possível, fazer ao menos 15 minutos todos os dias. “A mente não pode se alimentar uma vez por semana, somente”. 

O médico lembra que o estresse está envolvido com 80% das doenças e a meditação é excelente para combater esses casos. “Um estudo de Harvard mostra que a meditação foi capaz de reduzir 40% das consultas médicas. As pessoas precisam ter ciência do potencial da meditação para a condição de saúde da população”, ressalta.

Saúde gera saúde

Estamos falando de uma das práticas integrativas mais pesquisadas no mundo. “Ela é promotora da saúde, atua como ferramenta de conhecimento das próprias emoções, do controle do estresse, e do autoconhecimento. Isso gera diversos benefícios para o praticante, como o controle da hipertensão arterial, da ansiedade, depressão, inclusive de dor crônica”, reforça o consultor técnico do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, Daniel Amado.

De acordo com Daniel, pesquisas têm apontado que um praticante frequente de meditação também adquire outros hábitos saudáveis. “Ele costuma se preocupar mais consigo, perceber as coisas que lhe fazem mal e adotar práticas de alimentação saudável e de atividade física”. O técnico reforça que meditação tem baixo custo e a reprodução das experiências é muito rápida.

Se na sua cidade não tiver nenhuma unidade de saúde que ofereça a meditação ou outras práticas integrativas, entre em contato com a gestão de saúde local e manifeste seu interesse. Cabe aos municípios, com apoio dos Estados e do Ministério da Saúde, implementarem este tipo de serviço.

Qualidade de vida

Em 2015, a analista administrativo Juliana Morais ouviu do médico que os sintomas da síndrome do intestino irritado que ela sentia eram muito mais emocionais. Então, ela resolveu aceitar o convite de uma amiga para meditar, no lugar de usar medicação.

“Eu achei que aquilo fosse impossível, porque eu não conhecia nada sobre a prática. Mas eu também sabia que poderia ser uma alternativa para que eu não tomasse remédio por causa da síndrome. Nunca tinha meditado, o grau que eu me encontrava emocionalmente fazia com que eu achasse impossível ficar 30 minutos ali parada. Fiz e achei o máximo, me senti muito bem. Hoje eu pratico todos os dias”, relata.

Com a prática, Juliana não se livrou apenas da síndrome, teve outros benefícios. “Meditação é qualidade de vida, é você aprender a olhar para si, a respirar antes de tomar alguma atitude, de fazer algum comentário. Eu super indico para todas as pessoas. Foi um divisor de águas. Existe uma Juliana antes da meditação e uma depois”, destaca.

sexta-feira, setembro 22, 2017

Primavere-se

Encante-se.
Transborde cor.
Espalhe amor.
Primavere-se

Hoje é o primeiro dia da primavera!
O equinócio de hoje indica que haverá dias mais longos e mais claros em breve, Brasil! Esperamos que você aproveite a estação com muita diversão, amigos e muitas flores.

segunda-feira, setembro 18, 2017

Como a Grande Indústria Viciou o Brasil em Junk Food. The New York Times

À medida que o crescimento diminui nos países ricos, as empresas de alimentos ocidentais se expandem acintosamente nos países em desenvolvimento, contribuindo para obesidade e problemas de saúde.

Leia a matéria completa no link

Aula de introdução a Medicina Integrativa na pós do IPQ-HCFMUSP

A aula de introdução a Medicina Integrativa / Práticas Integrativas e Complementares em Saúde Mental é um dos módulos do curso de pós-graduação "Terapia Cognitivo-Comportamental em Saúde Mental" do Programa de Ansiedade do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e acontece nas dependências da Escola de Educação Permanente do complexo HCFMUSP.

O Prof Armando Ribeiro é um dos especialistas convidados para compor o corpo docente do curso de pós-graduação do Programa de Ansiedade do IPQ-HCFMUSP. O prof Armando Ribeiro é o responsável pela disciplina (Medicina Comportamental) desde as primeiras turmas de formação e aprimoramento do Ambulatório de Ansiedade (AMBAN), trazendo sua experiência de diversos centros de excelência no treinamento e pesquisa em Medicina Comportamental / Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, tais como: Unidade de Medicina Comportamental do departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Benson-Henry Institute for Mind Body Medicine do Massachusetts General Hospital da Harvard Medical School University of Arizona Center for Integrative Medicine, Medicina Integrativa do Instituto de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, entre outros.

A Medicina Integrativa pode ser compreendida como: “Medicina Integrativa é a prática da medicina que reafirma a importância da relação entre o paciente e o profissional de saúde. Ela é focada na pessoa em seu todo, informada por evidências e faz uso de todas as abordagens terapêuticas adequadas, com profissionais de saúde e disciplinas para obter o melhor da saúde e cura (health and healing)” (Lima, 2015).  As Práticas Integrativas e Complementares em Saúde são definidas pela Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PNPIC) como: "Práticas Integrativas e Complementares envolvem abordagens que buscam estimular os mecanismos naturais de prevenção de agravos e recuperação da saúde por meio de tecnologias eficazes e seguras, atuando de forma multiprofissional, com ênfase na escuta acolhedora, no desenvolvimento do vínculo terapêutico e na integração do ser humano com o meio ambiente e a sociedade. Outros pontos compartilhados pelas diversas abordagens abrangidas nesse campo são a visão ampliada do processo saúde-doença e a promoção global do cuidado humano, especialmente do autocuidado." (PNPIC, 2006).

O Prof. Armando Ribeiro é psicólogo, especialista da primeira turma em Bases da Medicina Integrativa pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Israelita Albert Einstein, capacitação em Gestão das Práticas Integrativas e Complementares pelo Ministério da Saúde - MS / Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares - PNPIC no SUS e "Integrative Mental Health" pelo Arizona Center for Integrative Medicine da The University of Arizona (EUA). Criador do Programa de Avaliação do Estresse do Centro Avançado em Saúde da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Durante o módulo de introdução a Medicina Integrativa / Práticas Integrativas e Complementares em Saúde Mental são utilizados sofisticados equipamentos de biofeedback / neurofeedback / neuroterapia para demonstrar a estreita relação entre os processos mentais / estratégias cognitivas e comportamentais e as reações psicofisiológicas correspondentes. Treinar profissionais da saúde nas técnicas mente-corpo é um dos objetivos deste módulo da pós-graduação.

sexta-feira, setembro 15, 2017

Atenção Plena ao se alimentar


Atenção Plena para iniciantes

Usando a prática de mindfulness para desenvolver o foco no momento presente, acalmar a mente e transformar sua qualidade de vida.

Pioneiro em demonstrar os benefícios da atenção plena (mindfulness) na terapia de redução do estresse, Jon Kabat-Zinn convida você a transformar a maneira como se relaciona com seus pensamentos e sentimentos, acalmando o barulho interno e despertando para o momento presente.

Inclui um CD com cinco meditações guiadas para a prática da atenção plena.

Neste livro, Jon Kabat-Zinn oferece instruções, respostas e reflexões tanto para quem já conhece as técnicas quanto para quem está começando a trilhar esse caminho. Por meio de uma compilação valiosa de recursos essenciais à prática da meditação, ele ensina:

• O valor de trazer a atenção ao corpo e aos sentidos.

• Como nos libertamos da tirania dos pensamentos.

• Como ver além da narrativa que a nossa mente conta.

• Como estabilizar a atenção em meio às atividades do dia a dia.

• Quais são os três principais fatores mentais que causam sofrimento.

• Como usar a meditação para enfrentar o estresse, a dor e as doenças.

• Como entrar em contato com a plenitude que já somos.

Atenção Plena à respiração



Atenção Plena para iniciantes

Pioneiro em demonstrar os benefícios da atenção plena (mindfulness) na terapia de redução do estresse, Jon Kabat-Zinn convida você a transformar a maneira como se relaciona com seus pensamentos e sentimentos, acalmando o barulho interno e despertando para o momento presente.

Inclui um CD com cinco meditações guiadas para a prática da atenção plena.

Neste livro, Jon Kabat-Zinn oferece instruções, respostas e reflexões tanto para quem já conhece as técnicas quanto para quem está começando a trilhar esse caminho. Por meio de uma compilação valiosa de recursos essenciais à prática da meditação, ele ensina:

• O valor de trazer a atenção ao corpo e aos sentidos.

• Como nos libertamos da tirania dos pensamentos.

• Como ver além da narrativa que a nossa mente conta.

• Como estabilizar a atenção em meio às atividades do dia a dia.

• Quais são os três principais fatores mentais que causam sofrimento.

• Como usar a meditação para enfrentar o estresse, a dor e as doenças.

• Como entrar em contato com a plenitude que já somos.

quinta-feira, setembro 14, 2017

Meditação: pensamentos controlados, respiração correta e saúde de sobra

Em tempos em que o estresse faz inúmeras vítimas e se torna comum na vida das pessoas, meditar é preciso! E o SUS pode te ajudar a conhecer essa prática milenar.

Trocar a euforia do dia a dia pela calmaria, descansar mente e corpo e controlar a emoção são alguns dos benefícios de uma técnica milenar que chegou ao Sistema Único de Saúde (SUS). Estamos falando da meditação. Você sabe o que é fantástico nessa prática? Qualquer pessoa pode fazer. Ela estimula a concentração, reduz a depressão e a hiperatividade e faz com que o praticante se cuide mais.

A psicóloga Nara Moraes coordena duas turmas de meditação na Unidade Básica de Saúde (UBS) Celeste, em Campo Bom, cidade do interior do Rio Grande do Sul. Para ela, independentemente de serem ou não doentes, as pessoas podem buscar alguma das práticas integrativas para melhorar a qualidade de vida. “Não vamos esperar que tenhamos problema de memória e estresse. Vamos trabalhar a prevenção. Esse é nosso objetivo com a meditação”, orienta.

Nara Moraes explica que a meditação é um processo de tratamento e de cura, dependendo do hábito criado pelo praticante. Os benefícios são gradativos, não são de uma sessão para outra, mas podem ser rápidos sim. “O principal é o autoconhecimento. Conectar-se consigo próprio. Isso vai facilitar a conexão com o outro também”, ensina a psicóloga.

Prática Integrativa

Em uma das visitas à UBS de Campo Bom, a dona Hilária Sulzbach viu um cartaz que convidava para conhecer a meditação. Foi a primeira vez e nunca mais parou. Aprendeu a meditar em casa, inclusive. “Eu dormia mal, era ansiosa, sempre muito preocupada em fazer as coisas. Agora me sinto calma. É um tratamento sem remédio, que pode levar algum tempo, mas é muito bom”, relata. 
Desde março de 2017, a meditação e outras técnicas que promovem a saúde, e assim evitando doenças, passaram a compor o rol de serviços oferecidos pelo SUS. Isso, graças à portaria do Ministério da Saúde, responsável pela Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. Um dia depois da Portaria 849/2017, a psicóloga Nara e o colega, o médico Charles Genehr, já começaram a trabalhar com a meditação como ferramenta de promoção à saúde.

Defensor da prática, Charles esclarece que o atendimento na unidade é para apresentar os métodos e guiar os pacientes, mas cabe a cada um colocar a mediação como hábito e, se possível, fazer ao menos 15 minutos todos os dias. “A mente não pode se alimentar uma vez por semana, somente”. 

O médico lembra que o estresse está envolvido com 80% das doenças e a medicação é excelente para combater esses casos. “Um estudo de Harvard mostra que a meditação foi capaz de reduzir 40% das consultas médicas. As pessoas precisam ter ciência do potencial da meditação para a condição de saúde da população”, ressalta.

Benefícios da Meditação:

- Reduz a ansiedade
- Combate a depressão e o estresse
- Melhora na qualidade do sono
- Evolução na concentração, atenção e memória
- Melhora a respiração

Saúde gera saúde

Estamos falando de uma das práticas integrativas mais pesquisadas no mundo. “Ela é promotora da saúde, atua como ferramenta de conhecimento das próprias emoções, do controle do estresse, e do autoconhecimento. Isso gera diversos benefícios para o praticante, como o controle da hipertensão arterial, da ansiedade, depressão, inclusive de dor crônica”, reforça o consultor técnico do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, Daniel Amado.

De acordo com Daniel, pesquisas têm apontado que um praticante frequente de meditação também adquire outros hábitos saudáveis. “Ele costuma se preocupar mais consigo, perceber as coisas que lhe fazem mal e adotar práticas de alimentação saudável e de atividade física”. O técnico reforça que meditação tem baixo custo e a reprodução das experiências é muito rápida.

Se na sua cidade não tiver nenhuma unidade de saúde que ofereça a meditação ou outras práticas integrativas, entre em contato com a gestão de saúde local e manifeste seu interesse. Cabe aos municípios, com apoio dos Estados e do Ministério da Saúde, implementarem este tipo de serviço.

Qualidade de vida

Em 2015, a analista administrativo Juliana Morais ouviu do médico que os sintomas da síndrome do intestino irritado que ela sentia eram muito mais emocionais. Então, ela resolveu aceitar o convite de uma amiga para meditar, no lugar de usar medicação.

“Eu achei que aquilo fosse impossível, porque eu não conhecia nada sobre a prática. Mas eu também sabia que poderia ser uma alternativa para que eu não tomasse remédio por causa da síndrome. Nunca tinha meditado, o grau que eu me encontrava emocionalmente fazia com que eu achasse impossível ficar 30 minutos ali parada. Fiz e achei o máximo, me senti muito bem. Hoje eu pratico todos os dias”, relata.

Com a prática, Juliana se livrou da síndrome e ganhou qualidade de vida. “Meditação é qualidade de vida, é você aprender a olhar para si, a respirar antes de tomar alguma atitude, de fazer algum comentário. Eu super indico para todas as pessoas. Foi um divisor de águas. Existe uma Juliana antes da meditação e uma depois”, destaca.

terça-feira, setembro 12, 2017

Drogas psicotrópicas não curam transtornos mentais, dizem especialistas


Efeito passageiro

Os medicamentos atualmente disponíveis não conseguem aliviar permanentemente os sintomas dos transtornos mentais.

Esta é a conclusão de Jürgen Margraf e Silvia Schneider, da Universidade Ruhr (Alemanha), em um artigo publicado na revista médica EMBO Molecular Medicine.

Segundo eles, o efeito dessas drogas são de curta duração.

Efeitos negativos

Margraf e Schneider compilaram amplas evidências sugerindo que os antidepressivos, ansiolíticos e medicamentos contra hiperatividade (TDAH) têm apenas um efeito de curto prazo: se os pacientes interromperem o tratamento, os sintomas retornam.

Além disso, o uso desses medicamentos a longo prazo pode ter um efeito negativo, por exemplo o aumento do risco de uma doença crônica ou maior incidência de recaídas.

Psicoterapia

De acordo com a análise, alternativas como a psicoterapia, ou terapia comportamental cognitiva, apresentam resultados muito melhores e mais sustentáveis a longo prazo.

Enquanto as drogas psicotrópicas podem ser aplicadas de imediato, os pacientes muitas vezes têm de esperar muito tempo para a sua primeira consulta com um terapeuta."O principal problema com a psicoterapia não é a sua eficácia ou seus custos, mas sua disponibilidade insuficiente," argumenta a Dra. Silvia Schneider.

Conceitos biológicos são insuficientes

Os dois pesquisadores discutem as razões para a falta de melhores terapias contra essas condições, apesar de pelo menos 60 anos de pesquisas. Em sua opinião, uma das razões pode ser a noção inadequada de que os transtornos mentais possam ser explicados apenas por conceitos biológicos.

"Hoje, tornou-se padrão dizer aos pacientes e ao público que os transtornos mentais são causados por um desequilíbrio no sistema neurotransmissor", contesta Margraf. Contudo, ainda não está claro se este fenômeno é a causa ou o efeito das doenças. Por isto, os fatores sociais não devem ser negligenciados.

De acordo com Schneider e Margraf, as categorias rígidas de "doente" e "saudável" também não são úteis em nada no que diz respeito aos transtornos mentais, que se manifestam de muitas formas diferentes.


Original publication:

Jürgen Margraf, Silvia Schneider: From neuroleptics to neuroscience and from Pavlov to psychotherapy: More than just the “emperor’s new treatments” for mental illnesses? in: EMBO Molecular Medicine, 2016, DOI: 10.15252/emmm.201606650

segunda-feira, setembro 11, 2017

5 razões que explicam por que fazer terapia é importante para todos


5 razões que explicam por que fazer terapia
é importante para todos

A saúde psicológica é tão importante quanto a saúde física.

Sucesso é um estado de espírito. Se você quiser sucesso, comece a pensar em você como bem-sucedido.

Lembro de períodos em minha infância quando as palavras terapia e terapeuta começaram a flutuar dentro e fora do meu vocabulário. Por alguma razão, durante minha juventude na Irlanda, terapia/aconselhamento/psicoterapia eram apenas para "pessoas loucas" ou pelo menos éramos condicionados a pensar dessa forma. Claro, por que você confessaria tudo e se tornaria vulnerável para um estranho?


Comecei a ler um livro chamado Broken Open, de Elizabeth Lesser, e ela construiu um argumento com o qual me identifiquei. Realmente não importa se sua infância foi muito traumática, tranquila ou muito feliz. Devido à natureza da vida e seus estágios, todos sofremos, enlutamos, reprimimos e evitamos. Faz parte da natureza de quem somos como humanos; além disso, quanto mais cedo percebemos que a saúde psicológica é tão pertinente quanto a saúde física, a profundidade pela qual sentimos a vida e outras pessoas mudará drasticamente.

Aqui estão cinco razões que explicam por que fazer terapia é importante para todos.

1. Bem-estar

Bem-estar psicológico é ter satisfação e contentamento geral em todos os segmentos da vida. A armadilha sobre o bem-estar é que alguém pode sentir que sua "vida já está resolvida", sem perceber que precisamos continuamente focar no autocrescimento, autoaceitação e desenvolvimento geral como pessoa. Isso pode significar algumas reflexões desconfortáveis, mas, no final, elas serão essenciais para nos ajudar a crescer. Estamos constantemente experimentando diferentes pensamentos, emoções e comportamentos dentro de nós mesmos; portanto, a integração disso tudo dentro de uma sociedade mais ampla deve ser nossa lição de casa para a vida. Você não pode argumentar que entende tudo o que ocorre em sua vida, quando não consegue se lembrar da última vez que fez uma autorreflexão e abriu espaço para a mudança ou crescimento.

2. Amizades

Existem várias explicações pelas quais escolhemos amigos ao longo da vida. O entendimento psicológico é que não selecionamos amigos por causa de quem eles são, mas os escolhemos porque eles nos amam e nos aceitam como nós realmente somos. Amigos colocam coisas como honestidade, lealdade e verdade sobre a mesa, todas as quais precisam de constante atenção e envolvem muito risco e vulnerabilidade. Nos apegamos a outras pessoas de maneira segura ou ansiosa, o que explica por que alguns amigos podem ter um efeito negativo sobre os outros, ao contrário das amizades positivas e saudáveis. Os amigos vêm e vão ao longo da vida; você é a única pessoa que pode determinar essa decisão. A psicologia desempenha um papel fundamental nas amizades, e a mudança de focar primeiro em nós antes de focar no amigo ou nas amizades pode responder a muitos problemas que os amigos enfrentam no dia a dia.

3. Carreira

Se você acha que uma entrevista de trabalho se baseia em qual universidade você se formou, talvez precise pensar outra vez. Recrutadores de executivos em todo o mundo usam testes psicológicos para dar a palavra final se uma pessoa conseguirá o emprego ou não. Entre esses testes, as empresas usam métodos como "Os Cinco Grandes Traços de Personalidade, que são (1) Abertura à experiência, (2) Conscientização, (3) Extroversão, (4) Amabilidade e (5) Neuroticismo. Soa desafiador no começo, mas todos esses traços se aplicam a nós e à natureza humana.

Em 2017, a correlação entre psicologia e sucesso já não pode ser ignorada, como diz a especialista Joyce Brothers: "Sucesso é um estado de espírito. Se você quiser sucesso, comece a pensar em você como bem-sucedido". Talvez aquela incômoda autorreflexão pode fazer uma diferença de 10.000 dólares a mais em seu salário anual.

4. Amor

Séculos atrás, antigos filósofos tinham diferentes teorias sobre o amor e o romance humano, mesmo antes da psicologia desenvolver suas próprias teorias. Se queremos encontrar amor, temos que estar cientes de que o amor está conectado com os sentimentos, comportamentos e atitudes de alguém. Não podemos evitar de olhar para dentro, pois a própria natureza de um relacionamento nos abre até o ponto de nos tornarmos vulneráveis naturalmente. Não existe isso de evitar a psicologia em um relacionamento amoroso. O amor é tanto uma forte conexão emocional quanto uma conexão física, que sempre requer reflexão sobre si mesmo e sobre o outro. Se um homem, por exemplo, amou sua mulher mais do que amou a si mesmo, ele é dependente de outro ser para sentir o amor, em vez de se amar primeiro e estabelecer os padrões pelos quais ele precisa ser amado.

5. Expectativas

Se você ainda não leu o livro Grandes Esperanças, de Charles Dickens, vale a pena dar uma lida. O livro investiga as expectativas versus a realidade, e destaca a verdade sobre o quanto esperamos de outros humanos ao longo da vida. Por muitos anos, a psicologia focou nas expectativas para provar que elas levam as pessoas à infelicidade e a uma grande dose de dor e insatisfação. Expectativa elevada constante de si mesmo pode ser prejudicial, pois leva as pessoas à decepção. A parte mais difícil de entender é que, se o resultado for ruim, só podemos culpar a nós mesmos por esperar tanto, para começo de conversa. Assim como podemos colocar grandes expectativas sobre nós mesmos, podemos também projetar isso em nossa família, amigos e entes queridos. A questão é que não podemos controlar as ações de outras pessoas, e a única realidade sobre a qual temos alguma influência é a nossa; mesmo isso pode ser limitado. Segundo Shakespeare, "a expectativa é a raiz de toda a mágoa".

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost CA e traduzido do inglês.

terça-feira, setembro 05, 2017

1o. Simpósio Multidisciplinar de Qualidade e Segurança do Paciente Cirúrgico


A SBCCV junto com o Instituto do Coração – HCFMUSP realizarão, em novembro, o primeiro Simpósio Multidisciplinar sobre Qualidade e Segurança. Desta forma, um grupo seleto de especialistas das mais diversas áreas ensinará como podemos otimizar e dar valor ao cuidado dos nossos pacientes, focando na transparência e no trabalho em equipe.

No mundo, o número de erros evitáveis em saúde aumentam consideravelmente e no Brasil ocorre praticamente uma morte por minuto.

Trabalho multidisciplinar
Devemos entender que os resultados de um hospital não dependem somente do ato cirúrgico e sim de todo um trabalho multidisciplinar. Portanto, continuar responsabilizando a parte técnica por todo o resultado é superficial, já que nada é mais padronizado do que uma cirurgia. O que a ciência da segurança do paciente vem mostrando é uma forte relação entre falhas do trabalho em equipe e falhas técnicas e de como um adequado gerenciamento de situações de crises pode mudar a tomada de decisões. Dessa maneira, aprendemos como melhorar habilidades técnicas, mas não aprendemos como aprimorar nosso comportamento ou nossas habilidades não técnicas.

Atendimento centrado no paciente
Com o advento da tecnologia e da expectativa de vida, as equipes de cirurgia têm se deparado com uma maior complexidade de procedimentos em pacientes, em sua maioria, também mais graves. Desta forma, para um atendimento centrado no paciente, a explosão do conhecimento multidisciplinar nos obriga cada vez mais a trabalhar em equipe, trazendo tarefas e funções claras para objetivos comuns. Isso deve ser feito através de treinamentos com cada integrante da equipe para interagir de forma dinâmica, interdependente e adaptativa, dando suporte uns aos outros e colocando o paciente como o centro do nosso atendimento.
Melhorar a qualidade do atendimento ao paciente continua sendo uma missão contínua para todos os membros da equipe cirúrgica.

“Temos que ser equipes treinadas e sincronizadas na construção de cenários seguros no cuidado dos nossos pacientes”

O objetivo é aprendermos juntos e trocarmos experiências com líderes da nossa área e de áreas afins. Entender como eles aprendem com os erros e como os gerenciam, como aderem a protocolos no seu local de trabalho, como criam uma cultura de segurança e como trabalham o fator humano na procura por otimizar resultados buscando sempre a transparência e focando no trabalho de equipes bem treinadas.

Mais informações:
http://simposiocirurgiasegura.com.br/

Programação do Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde - GTI / SES-SP



Programação do Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde promovido pelo Grupo Técnico Interprofissional (GTI) da Secretaria de Estado da Saúde de SP.
Honrado em ser um dos especialistas convidados para falar sobre Gestão do Estresse no Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde organizado pelo Grupo Técnico Interprofissional (GTI) da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo (SES/SP). Conscientizar os profissionais de saúde da importância da vida saudável e bem estar, ou seja, a saúde integral corpo, alma, mente e espirito; mudança do estilo de vida e hábitos para atingir a meta de vida saudável através da alimentação, atividade física bem como para cuidados que se deve ter com o meio ambiente.
Local: Centro de Convenções Rebouças (Sala Turquesa)
Av. Rebouças, 600, São Paulo / SP
Data: 25 de setembro de 2017
Horário: 9h 

Inscrições: no link

quinta-feira, agosto 31, 2017

Programação do Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde




Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais de Saúde
Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo - SES/SP
Grupo Técnico Interprofissional - GTI
Conscientizar os profissionais de saúde da importância da vida saudável e bem estar, ou seja, a saúde integral corpo, alma, mente e espirito; mudança do estilo de vida e hábitos para atingir a meta de vida saudável através da alimentação, atividade física bem como para cuidados que se deve ter com o meio ambiente.

Local: Centro de Convenções Rebouças (Sala Turquesa)
Av. Rebouças, 600 - Pinheiros, São Paulo / SP
Data: 25 de setembro de 2017
Horário: 9h
Inscrições: no link

quarta-feira, agosto 30, 2017

Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde

Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais de Saúde
Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo - SES/SP
Grupo Técnico Interprofissional - GTI

Conscientizar os profissionais de saúde da importância da vida saudável e bem estar, ou seja, a saúde integral corpo, alma, mente e espirito; mudança do estilo de vida e hábitos para atingir a meta de vida saudável através da alimentação, atividade física bem como para cuidados que se deve ter com o meio ambiente.

Local: Centro de Convenções Rebouças (Sala Turquesa)
Av. Rebouças, 600 - Pinheiros, São Paulo / SP
Data: 25 de setembro de 2017
Horário: 9h
Inscrições: no link

Simpósio de Saúde e Bem Estar. Secretaria de Estado da Saúde (SES/SP)

Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde
Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo - SES/SP
Grupo Técnico Interprofissional - GTI

Conscientizar os profissionais de saúde da importância da vida saudável e bem estar, ou seja, a saúde integral corpo, alma, mente e espirito; mudança do estilo de vida e hábitos para atingir a meta de vida saudável através da alimentação, atividade física bem como para cuidados que se deve ter com o meio ambiente.

Local: Centro de Convenções Rebouças (Sala Turquesa)
Av. Rebouças, 600 - Pinheiros, São Paulo / SP
Data: 25 de setembro de 2017
Horário: 9h
Inscrições: no link

Saúde é um estado de completo...

Ser saudável é muito mais do que não estar doente. É ter qualidade de vida!
Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)
Organização Mundial da Saúde (OMS)

segunda-feira, agosto 21, 2017

Neurociência com Foco em RH Estratégico - Revista Sincomavi


Por Armando Ribeiro das Neves Neto

Fechem os olhos! Neste momento, fiquem plenamente atentos a experiência sensorial da “uva passa” entregue pelo condutor do workshop. Percebam o fluxo dos pensamentos, das emoções e sensações físicas, mas não interfiram na experiência e apenas observem o estado da mente. Esta foi apenas uma das inúmeras vivências do congresso de coaching da Harvard. O condutor era ninguém menos do que o psicólogo e autor do best-seller Inteligência Emocional, dr. Daniel Goleman.

Líderes mundiais, CEO´s, diretores e gestores de RH, psicólogos, administradores, coaches e neurocientistas tomavam o primeiro contato com a prática de “mindfulness” ou “atenção plena”. Aprender mais sobre o funcionamento do cérebro e da mente é parte essencial no mundo do trabalho no século XXI. A gestão do conhecimento se mostra fundamental na sociedade do conhecimento e, com o advento da Inteligência Artificial e do “Big Data”, é preciso preparar de forma inovadora os colaboradores para o novo ambiente de trabalho.

Os temas tradicionais da área de comportamento organizacional e gestão de pessoas, tais como: ética, qualidade de vida no trabalho, inteligência emocional, gestão por competências, tomada de decisões, motivação, comportamento em grupo, comunicação, liderança, negociação, práticas de recursos humanos, entre outros, precisam englobar as mais recentes descobertas sobre o funcionamento do cérebro para acompanhar a transformação do ambiente de trabalho e continuar a serem estratégicas para as organizações do trabalho, bem como para os trabalhadores.

Quando fui professor de Psicologia Aplicada a Administração do INSPER, um dos maiores desafios foi levar aos alunos com um forte viés em pensamento analítico, econometria e ferramental estatístico, denominadas “hard skills” ou “competências cognitivas” voltadas para o mercado financeiro, as novidades das “soft skills” ou “competências socioemocionais”, habilidades para toda a vida. O próprio dr. Goleman, em Harvard, sustenta que “as empresas contratam baseadas no QI (competências cognitivas), mas demitem por falta da IE (competências socioemocionais)”.

É possível melhorar o funcionamento do cérebro para aumentar a produtividade e a competitividade dos trabalhadores e organizações?

Na sociedade do conhecimento, o desenvolvimento das competências cognitivas e socioemocionais se tornarão cada vez mais diferenciais para as empresas que adotarem uma cultura proativa de enriquecimento do ambiente de trabalho. Pesquisadores que conheci em Harvard/MIT já defendem a possibilidade dos trabalhadores “hackearem” o seu próprio cérebro de maneira a aprender melhor e sistemicamente. Dispositivos não-invasivos de “neurofeedback”, “biofeedback”, “neuromodulação” e “realidade virtual/aumentada” já são usados em treinamentos corporativos nos EUA, Europa e Ásia para ampliar a consciência sobre processos inconscientes e/ou involuntários e, assim, estimular intencionalmente a criatividade, o foco, a flexibilidade cognitiva, a resolução de problemas, a gestão do estresse, a resiliência, a empregabilidade, a ergonomia cognitiva etc.

Alguns gestores de RH já se preparam para o novo ambiente de trabalho por meio da contratação de programas voltados para o enriquecimento cognitivo e socioemocional do seu capital humano. Ser inteligente neste novo cenário é “promover níveis mais altos de pensamento e compromisso emocional”. A qualidade do pensamento se torna mais importante do que a mera quantidade, aponta o professor Ed Hess, da Darden School of Business. Seguindo os passos dos inúmeros avanços nos estudos das neurociências cognitivas, observamos uma miríade de novos campos de aplicação do conhecimento sobre o cérebro no contexto do trabalho, com destaque para “neuromarketing”, “neuroeconomia”, “neurobusiness”, “neuromanagement”, “neuroliderança”, “neurocoaching”, “neurohacking” etc. Entretanto, só o tempo ajudará a distinguir entre o conhecimento real e os diversos “neuromitos”. Em um mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo), o objetivo “da eficiência fica secundário e a capacidade de adaptação é a única vantagem possível em uma competição”, segundo a professora Amy Edmonton da Harvard Business School.

Armando Ribeiro das Neves Neto
Consultor organizacional. Autor do primeiro artigo sobre Neurociências aplicadas aos negócios no blog da Harvard Business Review Brasil. Contribuiu para artigos sobre Neurociências e Administração na revista Administrador Profissional do CRA-SP. Estudou "Coaching Brain Health" na Harvard. Contato: armandopsico@hotmail.com

Fonte: Revista Sincomavi

Quer saber mais sobre Neurociências e Gestão?

Neuromanagement - Harvard Business Review Brasil
Neurociência à serviço da Administração - Revista Administrador Profissional (CRA-SP)
Os mistérios da mente - Revista Administrador Profissional (CRA-SP)
Neurociências aplicadas à Administração - Blog Gestão do Estresse, Bem Estar e Qualidade de Vida

Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde - GTI (SES/SP)

Simpósio de Saúde e Bem Estar para Profissionais da Saúde
Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo - SES/SP
Grupo Técnico Interprofissional - GTI

Conscientizar os profissionais de saúde da importância da vida saudável e bem estar, ou seja, a saúde integral corpo, alma, mente e espirito; mudança do estilo de vida e hábitos para atingir a meta de vida saudável através da alimentação, atividade física bem como para cuidados que se deve ter com o meio ambiente.

Local: Centro de Convenções Rebouças (Sala Turquesa)
Av. Rebouças, 600 - Pinheiros, São Paulo / SP
Data: 25 de setembro de 2017
Horário: 9h
Inscrições: no link

Estresse: o mal do século.


Participação especial do Prof Armando Ribeiro no programa Vida Melhor da TV Rede Vida para falar sobre as novidades na avaliação e tratamento do estresse crônico. O programa é apresentado por Cláudia Tenório.

quarta-feira, agosto 09, 2017

Neurociência com foco em RH Estratégico no Grupo CONSTRHUIR

Casa cheia... para assistir a minha palestra com o tema "Neurociência com foco em RH Estratégico" no grupo ConstRHuir. Diretores, gestores e analistas de Recursos Humanos, consultores de desenvolvimento pessoal e coaches aprenderam sobre as mais novas tecnologias para o desenvolvimento e treinamento cerebral no contexto corporativo. 

A neurociência aplicada ao contexto do trabalho pode ser mais um diferencial competitivo no RH Estratégico. É possível treinar profissionais para a "peak performance", através das mais novas tecnologias que monitoram e treinam redes neuronais, implicadas em importantes processos cognitivos, tais como: concentração, flexibilidade cognitiva, criatividade, inteligência emocional e etc. 
Participantes da palestra "Neurociência com foco em RH Estratégico" no Grupo ConstRHuir.

Demonstração da utilização de tecnologias de monitoramento de ondas cerebrais (ex. biofeedback, neurofeedback, neuromodulação autorregulável) durante a aplicação de exercício de mindfulness (atenção plena). Estados alterados de consciência podem ser monitorados por meio de sofisticados equipamentos capazes de registrar objetivamente a alteração fisiológica correspondente. Aprender a autorregulação de estados emocionais é fundamental para o bem-estar psicossocial e o sucesso na carreira profissional. 

Os participantes foram convidados a responder uma pesquisa de opinião sobre as vantagens da utilização da neurociência no RH Estratégico nas organizações, em breve, teremos o resultado parcial deste levantamento que poderá ajudar na formulação de estratégias e de pesquisas para o avanço da implantação das neurociências nas empresas brasileiras.

A comissão organizadora do evento (Grupo ConstRHuir) recebeu doação de mantimentos para ser entregue em instituição beneficente.

Grupo ConstRHuir

Quer saber mais sobre Neurociências e Gestão?

Neuromanagement - Harvard Business Review Brasil
Neurociência à serviço da Administração - Revista Administrador Profissional (CRA-SP)
Os mistérios da mente - Revista Administrador Profissional (CRA-SP)
Neurociências aplicadas à Administração - Blog Gestão do Estresse, Bem Estar e Qualidade de Vida

terça-feira, agosto 08, 2017

Tratamento de Realidade Virtual para redução do stress no programa Vida Melhor

Prof Armando Ribeiro foi o especialista convidado para contar sobre as novidades da utilização da realidade virtual (virtual reality) e da realidade aumentada (augmented reality) no tratamento psicológico do stress no programa Vida Melhor da TV Rede Vida, apresentado por Cláudia Tenório.

O cérebro é o órgão responsável pela reação de luta-fuga, mas podemos aprender estratégias para reduzir nossa reação automática desadaptativa e proteger nosso organismo e mente / emoções das consequências do stress excessivo. Psicoterapia (ex. terapia cognitivo-comportamental), técnicas de respiração diafragmática, técnicas de relaxamento muscular, hipnose, meditação / mindfulness (atenção plena), dieta saudável, atividade física regular e sono reparador são alguns dos caminhos naturais para contrabalançar os efeitos do stress nocivo em nosso dia-a-dia. A religiosidade / espiritualidade (ex. coping religioso positivo) podem ser úteis no enfrentamento de situações estressantes.   

A utilização de modernas tecnologias (ex. biofeedback, neurofeedback, neuromodulação autorregulatória, realidade virtual / realidade aumentada e etc.) podem auxiliar no tratamento psicológico do stress excessivo. O Prof Armando Ribeiro é um dos pioneiros no estudo e utilização destas tecnologias em psicoterapia / saúde mental, além do ensino e pesquisa destas práticas em nosso meio. 

Ao final do programa, foi possível degustar um prato do chef Marcos Baldassari (participante do programa Masterchef) no programa Vida Melhor da TV Rede Vida.