terça-feira, julho 12, 2016

Assassino invisível... poluição do ar

 A contaminação atmosférica é causa de cerca de 7 milhões de mortes ao ano.
Assassino invisível
Apesar de não ser sempre percebido, a contaminação atmosférica pode ser letal.

36% das mortes de câncer de pulmão
34% das mortes de acidente vascular cerebral
27% das mortes por doenças cardiovasculares

Fonte: OMS

A reação do organismo à crise

Pesquisas internacionais já demonstraram que crises econômicas e políticas comprometem a qualidade de vida e o bem-estar da população e afetam a saúde. “O organismo reage com a produção exacerbada de neurohormônios (adrenalina, noradrenalina e corti-sol) e o desenvolvimento de doenças físicas, como hipertensão arterial, asma, infarto, AVC”, afirma o psicólogo Armando Ribeiro, coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

sexta-feira, julho 08, 2016

Psicologia Positiva será tema da Jornada de Psicologia da SOCESP

Departamento de Psicologia da SOCESP
São Paulo - SP, 13 de agosto de 2016

Jornada de Psicologia 

9h Inscrições 
9h30 Conferência de abertura 
Comunicação de más notícias em Pediatria: Uma nova realidade 
Mayra L. Gagliani

11:00 Colóquio 
Este coração não é meu! 
Aspectos médicos: Ana Maria Thomaz
Aspectos psicológicos: Ana Paula Chaccon

12h Mesa-Redonda
Como vive um adolescente cardiopata numa sociedade regida pela ditadura da beleza? Funcionamento psíquico do adolescente cardiopata
Karla Carbonari 
Ditadura da Beleza
Jennifer Franca
Transtornos Alimentares
Marcelo da Rocha Carvalho

Almoço

14h Conferência 
A escuta dos gritos do corpo: conceitos de psicossomática
Glória Perez 

15:00 Conferência 
Psicologia Positiva aplicada aos contextos médico-hospitalares. O que aprendemos no Wellness Center da Harvard?
Armando Ribeiro das Neves Neto

Mais informações: 
Departamento de Psicologia da SOCESP (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo)
Secretaria - (11)3179-0044 / Departamento de Eventos: (11) 3179-0049 / 0068 / 0042

* INSCRIÇÕES SOMENTE PELO SITE
* SERÁ ENTREGUE O CERTIFICADO APÓS O EVENTO

Data: 13/08/2016 (Sábado)
Horário: 09h00 às 16h00
Local: SOCESP
Avenida Pauslista, 2073 - Conjunto Nacional
Ed. Horsa I - 15º Andar - CJ 1511

Gestão do estresse e promoção da resiliência nos órgãos do Sistema da Justiça - II Encontro sobre Desenvolvimento Profissional na Defensoria Pública do Estado de São Paulo

Prof Armando Ribeiro é um dos especialistas convidados para o II Encontro sobre Desenvolvimento Profissional na Defensoria Pública do Estado de São Paulo e Escola da Defensoria Pública do Estado - EDEPE para abordar o tema: "Gestão do estresse e promoção da resiliência nos órgãos do Sistema da Justiça". Ele apresentará o estado da arte da gestão do estresse ocupacional e promoção da resiliência baseado nos últimos estudos do Centro de Bem-Estar da Harvard University, bem como da sua experiência na coordenação do Programa de Avaliação do Estresse do Centro Avançado em Saúde do complexo hospitalar da Beneficência Portuguesa de São Paulo e Hospital São José.  

sábado, julho 02, 2016

Conhece os benefícios das amizades? Entenda por que faz bem ter amigos

Que os amigos são essenciais em nossa vida, você já deve saber. Mas eles também ajudam a dar aquele "up" na saúde...

“Amigo é coisa para se guardar no lado esquerdo do peito”, já diria Milton Nascimento. Amigos são nossa segunda família, aqueles com quem podemos contar nos piores momentos, celebrar os melhores, rir, chorar...

Mas, além de tudo isso, eles também nos ajudam a ser mais saudáveis. Isso mesmo, cara leitora. Nossas amizades têm grande influência no nosso organismo, e nos ajudam a ter um psicológico mais saudável e um sistema imune mais forte. Palavras de especialistas.

Bombando o sistema imunológico

Armando Ribeiro, psicólogo e coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo, explica que o ser humano é essencialmente social, e os relacionamentos afetivos positivos (olá, amizades) levam nosso cérebro a produzir uma série de neuro-hormônios que ajudam a fortalecer o sistema imunológico e a nos defender dos hormônios do estresse excessivo, como o cortisol.

Estudos feitos nos Estados Unidos mostram que pessoas com alguma doença grave (como câncer, por exemplo) têm quatro vezes menos chances de morrer do que as que não têm amigos. “Algumas pesquisas já demonstraram que apenas cinco minutos de exercícios que evocam pensamentos positivos podem fortalecer nosso sistema imunológico por até seis horas”, completa Armando.

Relaxando a mente

Pensou que apenas sua imunidade seria beneficiada com as amizades? Na-na-ni-na não! Nosso psicológico também se beneficia, e muito, da presença de nossos amigos queridos.

Leticia Merschmann Marques, psicóloga da Clínica Psicólogos Berrini (SP), afirma que as amizades nos ajudam a partilhar nossas dificuldades e conquistas da vida. E compartilhar isso também nos ajuda a nos ouvir mais – em se tratando de psique humana, o falar tem o poder de nos fazer elaborar melhor o que compartilhamos, além de nos fazer ouvir uma opinião de outra perspectiva.

As amizades são fundamentais para um crescimento saudável e fontes de proteção durante os momentos mais difíceis da vida. “Os pais, as escolas e os ambientes de trabalho precisam criar uma cultura pró-amizade. Amigos são um dos pilares para uma alta percepção da qualidade de vida e bem-estar”, diz Armando Ribeiro.

Para Ana Paula Gomes, neurologista do Hospital Santa Cruz (SP), a amizade proporciona um olhar mais positivo para a vida. Manter contato social aumenta a sensação de bem-estar e diminui o estresse e preocupações.

Não se isole

Os três especialistas afirmam que viver em isolamento é prejudicial à saúde, principalmente a mental. Se a pessoa vive só, pode se sentir excluída, e essa sensação acaba se exteriorizando em forma de tristeza, estresse, ansiedade, raiva, medo, negativismo, baixa autoestima e percepção de pouco apoio social. Com isso, ela pode desenvolver um transtorno depressivo.

Por isso, querida leitora, nada de ficar escondida na toca, a.k.a seu quarto – mesmo se estiver passando por um momento difícil. Chame seus amigos e vá conversar e se divertir com eles. Além do bem-estar que você vai sentir, sua saúde agradece.

Fonte: Tao Feminino

quinta-feira, junho 30, 2016

Lançamento Instituto Stop Hunger / Luta contra a fome e a má nutrição‏

SODEXO BENEFÍCIOS E SODEXO SERVIÇOS ON-SITE LANÇAM INSTITUTO STOP HUNGER NO BRASIL PARA COMBATER A FOME E A MÁ NUTRIÇÃO

Neste ano, a Servathon - maratona de voluntariado organizada pelo recém-criado Instituto STOP Hunger, mobilizou milhares de voluntários e arrecadou um número recorde de 70,7 toneladas de alimentos, 74,7% a mais do que em 2015

São Paulo, junho de 2016 – Bandeira da Sodexo em todos os 80 países em que atua, o combate à fome e à má nutrição é alvo da atenção da empresa também no Brasil. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), feita pelo IBGE, mais de 7 milhões de brasileiros ainda passam fome. A fim de contribuir para a mudança dessa triste realidade, a Sodexo acaba de inaugurar no país o Instituto STOP Hunger, que tem em sua missão tornar-se uma força de liderança na luta contra a fome e a má nutrição.

O Instituto vai potencializar as ações de responsabilidade social e sustentabilidade que a companhia tem realizado nos últimos anos, com estímulo ao voluntariado e parcerias em prol do desenvolvimento de comunidades, sempre tendo em vista a melhoria da qualidade de vida das pessoas. A implantação da entidade no Brasil teve como inspiração exemplos de outros países, como França, Estados Unidos e Peru, e acontece no ano em que são celebrados seus 20 anos no mundo.

“A criação do Instituto STOP Hunger é um importante passo que possibilitará a expansão de projetos e ações sociais das quais nos orgulhamos muito. Sabemos que podemos fazer mais para tornar as comunidades melhores para se viver e contribuir para o combate à fome, à má nutrição e ao desperdício”, destaca o presidente do Instituto STOP Hunger, Fernando Cosenza.

Já para Mauro de Marchi, vice-presidente do Instituto STOP Hunger, a ideia agora é diversificar as iniciativas. “Entendemos que era o momento de ir mais adiante e convidar novos parceiros e voluntários para se juntarem a nós em uma causa que é relevante para toda a sociedade”, salienta.

“O envolvimento da sociedade é fundamental para o trabalho de qualquer ONG. Sabemos que todo ano a campanha Servathon trará muitos alimentos, mas sempre nos surpreendemos, tanto pela quantidade como pela qualidade. Os idosos já ficam aguardando que a empresa venha de novo, pois a Sodexo proporciona uma alimentação diferenciada e um dia especial para eles”, explica Thaís Yuri de Almeida, coordenadora geral do Grupo Vida – Brasil, uma das instituições beneficiadas pela Servathon.

Recorde de arrecadações

Nos meses de abril e maio, o Instituto STOP Hunger realizou a Servathon 2016, maratona mundial de voluntariado que mobilizou milhares de parceiros, clientes, estabelecimentos comerciais, fornecedores, colaboradores, familiares e membros da sociedade em geral a contribuir com doações de alimentos e trabalho solidário.

Em sua 8ª edição no Brasil, a iniciativa superou em mais de 74% o volume de alimentos arrecadados no ano anterior: foram 70,7 toneladas de alimentos doados (frente às 40,5 toneladas em 2015), o equivalente a cerca de 130 mil refeições prontas. Neste ano, a campanha envolveu 31.506 voluntários, que disponibilizaram mais de 33 mil horas de trabalho, beneficiando 92 instituições de diversas regiões do Brasil.


Juntas, para fazer mais

A Sodexo tem uma ampla atuação no mercado brasileiro nos segmentos Benefícios e Incentivos e Serviços On-site (que presta serviços terceirizados e integrados de alimentação, infraestrutura e suporte), com um time de mais de 36 mil colaboradores.

A Sodexo Benefícios e Incentivos desenvolve também projetos em parceria com instituições acadêmicas a fim de motivar e orientar a população para o plantio de hortas comunitárias e residenciais.

Já a forte presença da On-site, responsável pela operação de mais de 2 mil restaurantes corporativos, permite à empresa trabalhar com fornecedores locais, promover práticas sustentáveis no preparo das refeições por meio de treinamentos e iniciativas de conscientização, além de desenvolver uma cozinha inteligente, que permite a redução expressiva da utilização de recursos.

Todas essas, além de outras iniciativas, a partir de agora passam a integrar as atividades do Instituto STOP Hunger no Brasil.

Sobre o Instituto STOP Hunger

A Sodexo trabalha diariamente para melhorar a qualidade de vida das pessoas e contribuir com o desenvolvimento das comunidades onde atua. Além disso, acredita que, para que exista qualidade de vida, é necessário que as necessidades básicas dos indivíduos sejam atendidas.

Com base nessas premissas, em 1996, funcionários da Sodexo dos Estados Unidos criaram o STOP Hunger para oferecer a algumas crianças da região de Boston uma alimentação saudável. Hoje, o STOP Hunger é uma força de liderança global na luta contra a fome e a má nutrição e está celebrando 20 anos de compromisso.

No Brasil, desde 2003, diversas iniciativas STOP Hunger têm sido realizadas de maneira consistente e com importantes contribuições. Com o objetivo de expandir sua atuação, em dezembro de 2015 foi constituído o Instituto STOP Hunger no país. Uma organização independente sem fins lucrativos que envolve os stakeholders da Sodexo (colaboradores, clientes, usuários, estabelecimentos credenciados e fornecedores) e membros da sociedade em geral para a realização de ações e campanhas sociais. Juntos, todos esses públicos geram forte impacto para ajudar a minimizar o cenário da fome no Brasil e no mundo.

Fonte: Assessoria de imprensa Sodexo Brasil / Tamer Comunicação

Claudia Reis – 11 3031-2388 – ramal 219 – 11 97514-0815
Lucio Agberto – 11 3031-2388 – ramal 221 – 11 95494-9145

Dicas para manter uma vida saudável para profissionais que vivem viajando


Quem vive viajando a trabalho, sabe que é muito fácil descuidar da saúde. A falta de uma rotina bem definida atrapalha a alimentação e a prática de exercícios físicos, assim como acompanhamento de profissionais da saúde. Mas por outro lado, esses mesmos profissionais são os que mais precisam estar com a saúde em dia para que consigam cumprir suas funções de trabalho sem muitos problemas e contratempos.

Se está passando por isso, veja agora algumas dicas para uma vida saudável mesmo se leva uma vida viajando:

* Alimentação: este  é o ponto que talvez mais pegue nessas situações. É preciso e importante seguir uma dieta saudável para manter a saúde e a forma, porque não? Para isso, busque ajuda de um nutricionista para elaborar um cardápio nutritivo e prático. Se for passar muitos dias em uma mesma cidade, verifique locais em que possa se alimentar e seguir a dieta. Para os lanches, invista em castanhas e frutas secas em vez de apelar para um fast food.

* Mantenha exames em dia: programe-se para fazer exames sempre que estiver na sua cidade. Converse com seu médico e defina uma frequência que seja ideal e preventiva, não espere ficar doente para tratar. A prevenção nesses casos é o melhor remédio.

* Faça exercícios funcionais: na hora de escolher um local de hospedagem, busque apart hotel que tenha academia. Os Apart hotel em São Paulo em sua maioria possuem este espaço e a possibilidade de se contratar um personal para orientar e adequar os exercícios ao seu objetivo dentro da sua realidade. Lembre-se que nesse caso, menos é mais, um exercício feito em menos tempo, porém com qualidade é o melhor para atingir seus objetivos.

* Não esqueça da mente: não esqueça que a mente também adoece, assim como também pode adoecer o corpo. Busque manter a mente tranquila e em paz. Se o trabalho estiver muito estressante, busque equilibrar com atividade de relaxamento e que te dê prazer. Uma leitura prazerosa, por exemplo, pode ser feita até mesmo na espera de um voo, mas sempre que possível, busque passeios e também estar junto da família e amigos para recarregar as energias.

Fonte: Isabela Amstalden / isabelaklein@8020mkt.com.br
Observação: O conteúdo desta postagem é de total responsabilidade da fonte.

Aplicabilidade da Psicologia Positiva em Diversos Contextos. II Congresso Brasileiro de Psicologia Positiva

A mesa-redonda "Aplicabilidade da Psicologia Positiva em Diversos Contextos" contou com a participação dos especialistas Helder Kamei (SP) com o tema: "Florescimento nas Organizações: O impacto do bem-estar, saúde mental, qualidade de vida e capital psicológico no desempenho e satisfação com o trabalho", Celina Joppet (RJ) com o tema: "Sou Feliz porque Canto ou Canto porque sou feliz? Atitude afeta comportamento e comportamento afeta atitude"Armando Ribeiro (SP) com o tema: "Neurotecnologias a serviço da Psicologia Positiva". 


Celina Joppert demonstrou seu trabalho de cantoterapia e musicatividade com uma belíssima vivência musical.

Neurotecnologias podem auxiliar no desenvolvimento e aplicação da Psicologia Positiva em diversos contextos? É possível, por meio de equipamentos de biofeedback / neurofeedback, estudar alguns dos temas centrais da Psicologia Positiva, tais como: gratidão, compaixão, perdão, mindfulness (atenção plena), savoring e etc. 

É preciso demonstrar aos profissionais, pesquisadores e estudantes presentes na mesa-redonda que toda atividade cognitiva, emocional e comportamental tem uma reação fisiológica correspondente, consciente ou não, portanto a utilização dos sofisticados equipamentos eletrônicos permitem ver os pequenos sinais produzidos pelo corpo, tornando-se consciente e autorregulando os processos anteriormente involuntários. E melhor quando a demonstração for lúdica... Nossa participante de Portugal experimentou um "pseudoneurofeedback" e caiu na gargalhada.

Cada vez mais equipamentos são disponibilizados com "neurotecnologias", ou seja, sensores / circuitos eletrônicos e programas que são capazes de ler os pequenos sinais elétricos emitidos pelo organismo e devolvê-los de uma maneira compreensível, motivadora e principalmente lúdica.

Os equipamentos de biofeedback / neurofeedback são neurotecnologias sofisticadas, mas é fundamental que profissionais especializados possam avaliar e conduzir sessões de treinamento baseadas em evidências científicas e ética profissional. A compreensão dos aspectos psicofisiológicos do comportamento humano são essenciais para a aplicação adequada das neurotecnologias no contexto educacional, esportivo, clínico / hospitalar, "peak performance" e corporativo. 

Prof Armando Ribeiro é um dos pioneiros no estudo e aplicação das neurotecnologias na psicoterapia (Terapia Cognitivo-Comportamental) e autor do artigo: "Biofeedback em Terapia Cognitivo-Comportamental" publicado na revista científica Arquivos Médicos da FCMSCSP, além de ministrar workshops e treinamentos sobre o tema nos eventos das associações FBTC, ABPMC, Congresso Brasileiro da Psicologia: Ciência e Profissão e etc.

A felicidade dentro da empresa é lucro? Conferência no II Congresso Brasileiro de Psicologia Positiva

O II Congresso Brasileiro de Psicologia Positiva aconteceu no campus da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo - SP. O Prof Armando Ribeiro teve a honra de ser um dos especialistas convidados pela comissão organizadora do evento para abordar o tema "A felicidade na empresa é lucro?", a partir da sua vivência em consultoria organizacional e pesquisa. 


Profissionais, pesquisadores e estudantes interessados no campo de estudo da Psicologia Positiva aplicada as organizações participaram da conferência do Prof Armando Ribeiro com grande entusiasmo e troca de experiências. 

Prof Armando Ribeiro preparando seu material para apresentação no II Congresso Brasileiro de Psicologia Positiva.

Consultorias organizacionais nacionais / internacionais e uma ampla gama de pesquisas científicas publicadas em revistas especializadas apoiam a ideia de que ambientes de trabalho positivos têm resultados que impactam o bem-estar e a qualidade de vida dos trabalhadores, além de gerar lucro para a organização. 

A apresentação do Prof Armando Ribeiro fez uma breve descrição do estado da arte da Psicologia Positiva aplicada as organizações, principalmente das estratégias organizacionais mais validadas para a promoção do bem-estar e do florescimento das pessoas e organizações. 

É preciso apresentar dados científicos validados, mas sem esquecer em traduzir a ciência da Psicologia Positiva para todos os interessados na aplicação e desenvolvimento de estratégias de promoção da saúde e bem-estar. 

São apresentados casos de consultorias e pesquisas realizadas pelo Prof Armando Ribeiro sobre as bases da Psicologia Organizacional Positiva (POP), além de um resumo das evidências de ações institucionais (ex. RH, gestão de pessoas, programas de qualidade de vida no trabalho, entre outros) que promovem uma mudança significativa no clima organizacional. 

Da prática para a teoria... A conferência "A felicidade dentro da empresa é lucro?" foi sugerida a partir da grande repercussão da entrevista especial que o Prof Armando Ribeiro deu para a jornalista da revista Época Negócios. 


Prof Armando Ribeiro descreveu algumas das pesquisas realizadas sobre o impacto dos indicadores de clima organizacional na promoção da saúde, bem-estar e florescimento organizacionais. 

Como criar uma organização positiva?

Potenciais benefícios da Psicologia Organizacional Positiva (POP).

O encerramento da conferência do Prof Armando Ribeiro sobre "A felicidade dentro da empresa é lucro?" termina com a citação do seu artigo para o blog da mais prestigiada revista de negócios do mundo, a Harvard Business Review Brasil, e que abordou o papel das lideranças como  agentes fundamentais na transformação da cultura organizacional.

quarta-feira, junho 29, 2016

A felicidade dentro da empresa é lucro? II Congresso Brasileiro de Psicologia Positiva

Rumo ao II Congresso Brasileiro de Psicologia Positiva para ministrar a conferência sobre "A felicidade dentro da empresa é lucro?" na defesa de ambientes de trabalho mais positivos e que vicejam. Além da participação na mesa-redonda abordando o tema sobre "Neurotecnologias a serviço da Psicologia Positiva". Espero vcs lá!

terça-feira, junho 28, 2016

Psicoterapia baseada em evidências - Pós em Medicina Integrativa do HIAE

É um grande prazer desmistificar as psicoterapias para os médicos e demais profissionais da pós em Medicina Integrativa do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Israelita Albert Einstein.

O corpo fala... e podemos ouvi-lo através dos modernos equipamentos de biofeedback e neurofeedback. Demonstração na aula de pós-graduação em Bases da Medicina Integrativa do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein.

Manual de cuidados integrativos em saúde mental. Cuidando do corpo, mente, emoções e espiritualidade. Aula no curso de pós-graduação em Bases da Medicina Integrativa do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein. 

Eu prefiro conhecer a pessoa... já afirmava Hipócrates sobre a essência da relação terapêutica e dos cuidados médicos. 

Como reduzir as barreiras na busca pela psicoterapia? Apesar das enormes evidências científicas sobre o uso da psicoterapia nos quadros de ansiedade, pânico, fobias, depressão e etc. A psicoterapia continua sendo subutilizada ou subdisponibilizada nos sistemas de saúde. As mãos do professor não mentem!!

As novidades no tratamento da ansiedade

Artigo sobre as novidades no tratamento da ansiedade baseado nas mais recentes pesquisas sobre Medicina Integrativa e cuidados integrativos em saúde mental e psicoterapia. As novidades no tratamento da ansiedade by Armando Ribeiro

terça-feira, junho 21, 2016

Anote! Dia de Combate ao Stress: Implicações Práticas

Prof Armando Ribeiro é um dos especialistas convidados para o Dia de Combate ao Stress: Implicações Práticas e abordará o tema: "Sem stress não se ganha jogo. Cultivando o lado bom do stress" e contará algumas das suas experiências a frente do Programa de Avaliação do Estresse do Centro Avançado em Saúde do complexo hospitalar da Beneficência Portuguesa de São Paulo, O evento acontecerá em 22/09/2016 no auditório da UNIP (campus Vergueiro) e é organizado pelo IPCS/CPCS, além do apoio da UNIP, FBTC e ABS.

A crise econômica faz aumentar os casos de doenças emocionais...

Entrevista concedida ao programa Jornal da Manhã da rádio Jovem Pan. Durante períodos de crise no cenário político e econômico é comum o aumento de queixas físicas e emocionais relacionadas ao pessimismo em relação ao futuro e as perdas da qualidade de vida e do bem-estar. Algumas dicas são importantes para se proteger durante esses momentos.

sábado, junho 18, 2016

Crise pode aumentar risco de aparecimento de doenças emocionais


Diante da crise econômica e política que assola o país, um dos problemas que está assustando a população é o desemprego, que já atinge 10% dos brasileiros, segundo o IBGE. Entre os jovens, a situação é ainda pior, 20,8% deles estão sem trabalhar. O desemprego e suas consequências na vida das famílias são um dos gatilhos para o estresse crônico, o que aumenta o risco de desenvolver transtornos mentais.

O psicólogo e coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo, Armando Ribeiro, explica que a crise é normalmente interpretada pelo organismo como sinal de perigo e, com isso, passa a estimular a produção dos hormônios do estresse (adrenalina, noradrenalina, cortisol). “O maior problema é quando a crise se arrasta por um longo tempo, semanas ou até meses, o que leva ao desgaste das reações de adaptação do organismo e da mente, propiciando condições ideais para o aparecimento de doenças”, afirma Armando. 

A depressão pode afetar todas as faixas etárias, mas segundo pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA, estimam que entre 7% e 11% dos adolescentes podem apresentar sintomas depressivos, e que de 2% a 3% têm os quadros mais graves da doença. No Brasil, como em outros países, estimam a prevalência maior em meninas adolescentes (12%) do que nos meninos (5%).

O especialista recomenda que nos momentos difíceis é preciso olhar para as oportunidades que a crise pode criar. “Ao invés de se deixar abater por pensamentos catastróficos e derrotistas, o melhor é manter os pés no chão, e criar uma agenda positiva de quais obstáculos precisam ser reconhecidos e de quais habilidades são necessárias para alcançar o tão sonhado trabalho”, recomenda o psicólogo.

Além disso, um estilo de vida saudável, que contemple uma alimentação adequada, atividade física regular, sono de qualidade, relacionamentos afetivos positivos e o desenvolvimento de um sentido e propósito na vida são alguns dos fatores que podem ajudar a evitar o aparecimento da depressão. A terapia cognitivo-comportamental é uma forma de psicoterapia que apresenta evidências científicas da sua eficácia no tratamento de quadros depressivos.

Sobre Beneficência Portuguesa de São Paulo

Fundada em 1859, a Beneficência Portuguesa de São Paulo (www.beneficencia.org.br) é uma das maiores instituições hospitalares privadas da América Latina, contando com aproximadamente 7.500 colaboradores e 3.000 médicos, e com uma gestão baseada na qualidade assistencial, humanização, ensino e pesquisa, além de um corpo clínico formado por renomados especialistas. A instituição é referência no atendimento médico hospitalar em mais de 50 especialidades, como cardiologia, oncologia, neurologia, ortopedia, entre outras. Atualmente, a Beneficência Portuguesa de São Paulo conta com três hospitais que somam mais de 1.200 leitos de internação. O Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, primeiro pilar da Instituição, realiza atendimento ao Pronto-Socorro, UTIs, Internações e Cirurgias. Em 2007, foi inaugurado o Hospital São José, que se destaca pelo atendimento oncológico com padrões internacionais, entre outras especialidades. Em 2012, o Hospital Santo Antônio foi criado com o objetivo de oferecer atendimento a pacientes filantrópicos, reforçando a responsabilidade social e carácter beneficente da Associação.

Mais informações à imprensa / Imagem Corporativa:

Lívia Azevedo |11-3526-4589| livia.azevedo@imagemcorporativa.com.br
Hugo Ribeiro | 11-3526-4515| hugo.ribeiro@imagemcorporativa.com.br
Lourannie Muniz | 11-3526-4503 | lourannie.muniz@imagemcorporativa.com.br

terça-feira, junho 14, 2016

Meu filho não come!

Meu filho não come! Transtorno alimentar infantil? Sim, o problema existe. Aprenda a reconhecer os sintomas e conheça as formas de tratamento.
A alimentação infantil é uma preocupação constante dos pais. E não é para menos: muitas crianças dão trabalho na hora da refeição, demoram para comer, algumas não gostam de legumes e verduras, outras não comem carne, e frutas, nem pensar. Assim, alguns pais acabam cedendo e recorrendo a opções nem um pouco saudáveis, como macarrão instantâneo, guloseimas, lanches, frituras. Ocorre que, para a criança com transtorno alimentar, nenhuma dessas opções é convidativa. 

A pediatra do hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, Wylma Hossaka, explica que muitas crianças não sentem fome e podem ter aversão a alimentos. Recusam até chocolate. "O transtorno alimentar infantil compromete o desenvolvimento. Não é uma condição frequente, mas é preciso estar atento, pois pode trazer repercussões definitivas, como alteração no crescimento", avisa. 

A doença pode se manifestar em bebês, crianças e em pré-adolescentes, e os sintomas variam entre falta de apetite, fraqueza, mudanças de humor e atraso no crescimento. Quanto mais desses sintomas aparecem maior o sinal de alerta de que é preciso procurar um médico para uma orientação nutricional.  

Para Armando Ribeiro, psicólogo e coordenador do Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa, é frequente os pais negarem o problema e só buscarem ajuda quando os sintomas são intensos. "O surgimento do transtorno alimentar infantil é multifatorial. Costuma ser uma associação de fatores genéticos, culturais e traumáticos", diz. 

Segundo a nutricionista Fernanda Caprio, os transtornos alimentares na infância podem aparecer quando associados a distúrbios emocionais e/ou alterações no relacionamento mãe/filho durante os primeiros anos da vida da criança, quando a figura materna garante segurança, proteção e confiança ao filho.  

"O tratamento dos transtornos alimentares na infância envolve toda a família. Com interesse, paciência, atenção e informação, esses quadros podem ser revertidos antes de evoluírem, para que a criança se desenvolva de maneira adequada, saudável e feliz", garante. O tratamento indicado é multidisciplinar e envolve profissionais de diversas áreas da medicina (pediatria, psicologia, nutrição, entre outros), além, é claro, do componente familiar. 

De acordo com Wylma Hossaka, os pais têm um papel fundamental nesse processo. "É preciso que tenham calma, paciência, comecem a regrar os horários e façam acompanhamento com especialistas", sugere. 

Criatividade

A criatividade pode ajudar na hora das refeições das crianças. Levá-las para cozinhar, mostrar os alimentos, fazer feira e supermercado são atitudes capazes de despertar o apetite delas. "Famílias que possuem hábitos alimentares adequados estimulam a boa alimentação na infância", diz a nutricionista Cintya Bassi. 

"Além disso, é importante compreender o apetite da criança para não forçar que ela coma mais do que tem vontade. Respeite o apetite da criança. Sempre que possível, envolva a criança no preparo do alimento, apresente o alimento em diferentes preparações e não ofereça guloseimas como recompensas", orienta.  

Transtorno alimentares comuns na infância

Pica - É a ingestão frequente de substâncias sem valor nutritivo e que não faz parte da cultura alimentar por um período mínimo de 1 mês, por exemplo, terra, cabelo, cinzas de fumaça, etc. Mais comum em crianças com autismo ou retardo mental 

Transtorno de Ruminação - Quando ocorre a volta do alimento ingerido e sua remastigação, sem que seja associada a nenhuma condição clínica Seletividade alimentar A criança só come determinados alimentos e se recusa a incluir qualquer item novo na sua rotina alimentar   

Fonte: Cintya Bassi, nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão  

Dicas 

  • Respeite o apetite da criança, sem forçar a alimentação 
  • Prepare refeições diferentes e com o auxílio da criança, promovendo a interação entre ela e os alimentos  
  • Tenha paciência na hora de apresentar novos alimentos  
  • Não ofereça doces e sobremesas como recompensas, nem a hora das refeições como castigo  

Fonte: Fernanda Caprio, nutricionista clínica funcional e nutricionista infantil

Armando Ribeiro é um dos palestrantes do II Congresso Brasileiro de Psicologia Positiva

Armando Ribeiro é um dos palestrantes confirmados no II Congresso Brasileiro de Psicologia Positiva! Conheça um pouco mais dos palestrantes no site oficial do evento: www.psicopositiva.com.br

quinta-feira, junho 09, 2016

Como não deixar que o estresse do trabalho influencie sua vida pessoal e vice-versa no programa Vida Melhor

Como não deixar que o estresse do trabalho influencie sua vida pessoal e vice-versa - Parte 1 from REDEVIDA on Vimeo.

Prof Armando Ribeiro é o especialista convidado para falar sobre as novidades na gestão do estresse pessoal e ocupacional, através de técnicas e tecnologias baseadas na neurobiologia do estresse, terapia cognitivo-comportamental / mindfulness e do biofeedback no programa Vida Melhor da Rede Vida apresentado por Cláudia Tenório. A entrevista também contou com a participação especial do cantor Uirá França e os músicos Rafael Cauchiolli e Guilherme Amaral.

Como não deixar que o estresse do trabalho influencie sua vida pessoal e vice-versa - Parte 2 from REDEVIDA on Vimeo.

Prof Armando Ribeiro é o especialista convidado para falar sobre as novidades na gestão do estresse pessoal e ocupacional, através de técnicas e tecnologias baseadas na neurobiologia do estresse, terapia cognitivo-comportamental / mindfulness e do biofeedback no programa Vida Melhor da Rede Vida apresentado por Cláudia Tenório.

Como não deixar que o estresse do trabalho influencie sua vida pessoal e vice-versa - Parte 3 from REDEVIDA on Vimeo.

Prof Armando Ribeiro é o especialista convidado para falar sobre as novidades na gestão do estresse pessoal e ocupacional, através de técnicas e tecnologias baseadas na neurobiologia do estresse, terapia cognitivo-comportamental / mindfulness e do biofeedback no programa Vida Melhor da Rede Vida apresentado por Cláudia Tenório.

Saiba como funciona e como potencializar a sua memória no programa Vida Melhor

Saiba como funciona e como potencializar a sua memória - Parte 1 from REDEVIDA on Vimeo.

Prof Armando Ribeiro é o especialista convidado para falar sobre as novas tecnologias e técnicas para o desenvolvimento cognitivo (ex. atenção, memória, alta performance cognitiva e etc.) no programa Vida Melhor da Rede Vida apresentado por Cláudia Tenório. A entrevista contou também com a participação da dupla André & Kadu.

Saiba como funciona e como potencializar a sua memória - Parte 2 from REDEVIDA on Vimeo.

Prof Armando Ribeiro é o especialista convidado para falar sobre as novas tecnologias e técnicas para o desenvolvimento cognitivo (ex. atenção, memória, alta performance cognitiva e etc.) no programa Vida Melhor da Rede Vida apresentado por Cláudia Tenório.

Saiba como funciona e como potencializar a sua memória - Parte 3 from REDEVIDA on Vimeo.

Prof Armando Ribeiro é o especialista convidado para falar sobre as novas tecnologias e técnicas para o desenvolvimento cognitivo (ex. atenção, memória, alta performance cognitiva e etc.) no programa Vida Melhor da Rede Vida apresentado por Cláudia Tenório.

Saiba tudo sobre a dor de cabeça no programa Vida Melhor



Prof Armando Ribeiro é o especialista entrevistado pela apresentadora Cláudia Tenório para abordar os gatilhos emocionais das cefaleias no programa Vida Melhor da Rede Vida de TV.


Prof Armando Ribeiro é o especialista entrevistado pela apresentadora Cláudia Tenório para abordar os gatilhos emocionais das cefaleias no programa Vida Melhor da Rede Vida de TV.

quarta-feira, junho 08, 2016

Encarando a pressão no emprego de forma positiva


Nove em cada dez trabalhadores relatam sofrer de ansiedade no trabalho, segundo pesquisa da Isma-BR (International Stress Management Association no Brasil). Apesar de comumente associado a sintomas negativos como nervosismo e até depressão, o estresse no ambiente de trabalho não é necessariamente ruim. Segundo especialistas, há formas de usá-lo para aumentar a produtividade.

Você e o estresse

O estresse vem de qualquer situação que requer adaptação, que pode ser positiva para alguns e negativa para outros. É a cor das lentes que a pessoa usa que determina sua percepção do momento, diz Ana Maria Rossi, presidente da Isma-BR.

Ela explica que há duas definições para o termo: o eustress, que ajuda a afiar a criatividade, e o distress, atrelado ao nervosismo.

Para encarar os problemas no escritório com o eustress, Rossi diz ser importante não se intimidar com um possível resultado negativo. Identifique seus erros, aprenda com eles e, o mais importante, tente fazer de novo, diz. Isso minimiza o peso da tomada de decisões e permite que a pressão seja um estímulo a obter resultados melhores e não um peso.

Já a fórmula sugerida por Armando Ribeiro, coordenador do Programa de Avaliação do Estresse do Hospital Beneficência Portuguesa, é apelar ao bom humor. Se o profissional percebe algum sintoma de nervosismo, ele recomenda fazer um intervalo para se recuperar.

No combate

Fuja do café, diz Ribeiro. Já que ingerir estimulantes faz com que o corpo produza o cortisol, conhecido como hormônio do estresse. Em vez disso, faça pausas para observar a respiração, sentir se seu corpo está contraído, endireitar a postura, se alongar ou andar um pouco, explica o especialista.

Alternar as atividades também pode ajudar. O trabalho diário muitas vezes demanda atividades repetitivas, o que leva, com o passar do tempo, ao estresse. Interrompa esse fluxo fazendo coisas diferentes, afirma.

Decorar a mesa com plantas e fotografias é outra recomendação para melhorar a forma como o profissional enfrenta as dificuldades.

A bagunça na estação de trabalho é um indicador de estresse, segundo Ribeiro. Os momentos para arrumar a mesa servem para organizar a vida.

sexta-feira, junho 03, 2016

Dor de cabeça? Saiba mais sobre os gatilhos emocionais...

Você sofre de dor de cabeça? Pra falar dos gatilhos emocionais da cefaleia Prof Armando Ribeiro esteve presente no programa Vida Melhor da Rede Vida de TV apresentado por Cláudia Tenório.

Regiões do cérebro responsáveis pelas emoções podem modular a sensibilidade a dor e afetar as cefaleias. A dor é uma experiência real, mas as emoções podem influenciá-la. O estresse crônico, a ansiedade e depressão podem coexistir com quadros de cefaleia crônica e precisam receber atenção médica e psicológica.

Dor de cabeça? As cefaleias são multifatoriais... nada melhor do que receber atenção de uma equipe multidisciplinar para vencer a doença.

Prof Armando Ribeiro explica como a psicoterapia (Terapia Cognitivo-Comportamental), exercícios de relaxamento, práticas meditativas (mindfulness) e mudança do estilo de vida devem ser associados ao tratamento médico convencional no caso das cefaleias.

A cefaleia crônica pode afetar o desempenho acadêmico e laboral, além de interferir negativamente na vida pessoal e familiar. Quem sofre de cefaleia crônica precisa procurar ajuda médica especializada e pode experimentar incluir terapias integrativas (ex. acupuntura / MTC, auriculoterapia, massoterapia, automassagem, tai chi, lian-gong, quiropraxia e etc.).

Existem vários gatilhos para a cefaleia (por exemplo, alimentos, jejum prolongado, condimentos / corantes / conservantes alimentares, cheiros ambientais, luz ambiente, ruídos, temperatura e etc.). Faça um diário de dor com as seguintes informações: data / horário, localização da dor (região frontal, temporal, occipital, ápice, toda a cabeça e etc.) , intensidade da dor (leve, moderada, severa) e outras informações que julgar importante para a avaliação do seu médico. 

No hospital geral de Massachussetts (Massachussetts General Hospital) da escola médica da Universidade de Harvard onde realizei treinamentos em gestão do estresse, as práticas não-medicamentosas (que envolvem abordagens de autocuidado e técnicas de relaxamento e meditação) já são oferecidas regularmente a todos os pacientes que sofrem de dor crônica. O Centro Osher para Medicina Integrativa da Harvard também oferece terapias integrativas para os pacientes com diagnóstico de cefaleia crônica (ex. acupuntura, quiropraxia, massoterapia, tai chi, mindfulness, meditação de concentração e etc.).

Prof Armando Ribeiro explica como a Terapia Cognitivo-Comportamental (uma forma de psicoterapia baseada em evidências) pode ser útil aos pacientes portadores de dor crônica, inclusive os que sofrem de cefaleia tensional e enxaqueca.

Aprender a ouvir o que o corpo quer dizer com a doença, é uma das profundas lições que tiramos dos nossos pacientes portadores de dor crônica. A dor é uma reação natural frente a agressão ao corpo e sinal de alerta, mas antes de querer desligá-la é fundamental aprender a ouvir o que ela quer dizer. O uso exagerado de analgésicos pode piorar as cefaleias, portanto é fundamental procurar ajuda médica especializada e terapias de apoio.